Login



Detectamos o seu IP

Você está conectado(a) a este site de: 54.224.168.206

Dali Clock

Social Media Links

TwitterFacebook

Pessoas Online

Nós temos 186 visitantes e 9 membros online
  • redezrenn

Visitas

HOJE147
ONTEM274
NA SEMANA667
NO MÊS3239
TODAS309975
Powered by Kubik-Rubik.de

Siga-nos

Siga o Dica Quente no Twitter

Twitter

Doacoes


 
SÓ MAIS UMA DANCINHA PDF Imprimir E-mail

ABUSO: Vídeo na internet mostra soldados dançando versão funk do hino nacional no Rio Grande do Sul

PORTO ALEGRE - Soldados de um quartel do Exército no Rio Grande do Sul podem ser punidos pela Justiça Militar por desrespeito a um símbolo nacional. Eles aparecem em um vídeo postado na internet dançando uma versão funk do Hino Nacional.

No vídeo, eles surgem perfilados durante a introdução do hino como em um dia normal no quartel. Depois, com a mudança no ritmo da música, os seis soldados uniformizados passam a dançar a versão funk. A gravação, que foi parar na internet, foi assunto na cidade de Dom Pedrito, no Sul gaúcho.

- Acho lamentável alguém que está dentro de uma organização nacional dar um mau exemplo desse - diz o comerciário Alexsander Barreto.

Por causa da repercussão, os próprios soldados retiraram os vídeos da internet.

- Para os militares, sejam eles estaduais ou federais, o hino é algo sagrado. Inclusive todas as solenidades militares têm uma saudação à bandeira com muito respeito e devoção ao hino, que simboliza o povo brasileiro - diz o promotor da Justiça Militar no Rio Grande do Sul, Luiz Eduardo Azevedo.

Nove soldados estão envolvidos na gravação. Eles não foram presos e seguem em atividade normal no quartel. O Exército abriu Inquérito Policial Militar para apurar o caso.

Fonte: O Globo (Direitos Respeitados)

Fonte: Soldados dançando funk do Hino Nacional por elatadexico no Videolog.tv.

ABUSO TERIA SIDO RECÍPROCO?

SÃO PAULO - O Exército investiga o suposto estupro de um recruta em um quartel de Santa Maria, no Rio Grande do Sul. O soldado deixou nesta quarta-feira o hospital e deve passar por exames.

Segundo a família do recruta, ele foi violentado por quatro militares, na semana passada. O Exército declarou que os suspeitos estão sendo ouvidos e que um inquérito militar aberto para apurar o caso deve ser concluído em 40 dias.

Assim fica difícil moralizar a coisa...

 

Comentar

Por favor, use de polidez em seu comentário. Não utilize palavras ofensivas ou palavrões e seja bem vindo(a).


Código de segurança
Atualizar