Login



Detectamos o seu IP

Você está conectado(a) a este site de: 54.198.246.116

Dali Clock

Social Media Links

TwitterFacebook

Pessoas Online

Nós temos 103 visitantes e 8 membros online
  • redezrenn

Visitas

HOJE51
ONTEM274
NA SEMANA571
NO MÊS3143
TODAS309879
Powered by Kubik-Rubik.de

Siga-nos

Siga o Dica Quente no Twitter

Twitter

Doacoes


 
VEM BATER EM MIM FDP PDF Imprimir E-mail

DESGRAÇADO, INFELIZ, CRIMINOSO, IRRESPONSÁVEL, OMISSO, BANDIDO, CANALHA, DOENTE, PERVERSO, DESAJUSTADO, LOUCO...

Registro, Vale do Ribeira, 14/05/2011 - E a protagonização de uma bárbara e cruel cena familiar.

Por Barthô Raimundo - Jornalista

Que me perdoem os leitores, mas seria impossível outro título bem como palavras de menor efeito para essa matéria. E mesmo assim, mesmo com esse título, só o que poderia fazer seria: APANHAR TAMBÉM.

Mesmo porque estou compartilhando com esses "anjinhos" as mesmas dores, a mesma decepção de ser filho de um "nada", a mesma "desesperança" e a dura realidade de estar neste mundo como "alvo" de um inconsequente... Que tristeza...

Sim porque parece que essa é a regra: APANHAR E FICAR POR ISSO MESMO.

Inicio esclarecendo que o motivo da agressão foi: Os filhos estavam brincando com frutas no quintal.

A verdade é que para um doente desse tipo não há necessidade de um motivo mais ou menos grave. Ele tem ódio da vida, das suas decepções com ela, das suas infelicidades e inconscientemente se arrepende de ser pai, mas não é capaz de admitir isso para si mesmo.

É mais um traste produzido por esses tempos difíceis em que vivemos. Um mente fraca. Um perdedor infeliz.

Fonte do vídeo - Portal G1 - Globo Vídeos (Direitos Respeitados)

Até quando, meu Deus teremos que esperar que situações cheguem no limite da perversidade (mais até que isso) para abrirmos as nossas bocas? Para procurarmos uma providência?

Desde sempre ouvimos a expressão: "O mal deve ser cortado pela raiz", mas parece que isso deixou de fazer sentido dentro da mente de certas pessoas. Definitivamente não podemos dar chance ao mal. Seja com relação a quem ou ao que for.

Devemos impor nossa condição de cidadãos, de gente, e é nossa obrigação proteger e amparar os mais fracos e incapazes. Quem não é capaz disso deve procurar se reabilitar como cidadão ou então morrer e tentar uma reencarnação mais digna, espiritual ou metaforicamente falando.

"Dignidade" - isso é o que está faltando.

A mãe já abandonou o lar porque também era vítima de constantes agressões. Como ela pode ter feito isso e ter deixado para trás os filhos?

É uma omissa e deve ser responsabilizada também. Ela tem responsabilidade compartilhada em tudo. Se chegar na justiça e alegar seu sofrimento, nada mais vai conseguir que o pesar da autoridade que a atender. Coisa que deveria ter feito quando abandonou o lar deixando para trás seus filhos à mercê de um louco. Isso é inadmissível. E que ela não venha dizendo que não sabia, que não tem estudo suficiente, que foi em busca de algo melhor, inclusive para os filhos, que isso não "cola".

Na verdade ela, como bem está escrito acima, foi embora porque não suportava mais ser agredida. Será que ela imaginou que os filhos suportariam isso mais que ela? É irresponsável. Simplesmente "passou a bola".

O medo.

Psicologicamente e tão somente assim, o medo tem o mesmo efeito mental que a culpa. Não é possível escapar disso sem enfrentá-los conscientemente. Naquela hora em que parece não haver mais saída, sabe?

Por sorte eis que surge um herói, mais uma vez: Um irmão mais velho de 17 anos com seu aliado tecnológico: um celular com filmadora.

Na minha opinião ele, com seus 17 anos é muito mais responsável que seus pais "juntos". Todo o meu respeito à você, garoto de ouro. Siga em frente, denuncie sempre, estude e venha um dia representar essa nação carente de pessoas "de atitude".

 

Comentar

Por favor, use de polidez em seu comentário. Não utilize palavras ofensivas ou palavrões e seja bem vindo(a).


Código de segurança
Atualizar