Login



Detectamos o seu IP

Você está conectado(a) a este site de: 54.80.33.183

Dali Clock

Social Media Links

TwitterFacebook

Pessoas Online

Nós temos 1177 visitantes e 11 membros online
  • redezrenn

Visitas

HOJE28
ONTEM126
NA SEMANA848
NO MÊS3420
TODAS310156
Powered by Kubik-Rubik.de

Siga-nos

Siga o Dica Quente no Twitter

Twitter

Doacoes


 
VIRADA CULTURAL SP - 2011 PDF Imprimir E-mail

A cidade de São Paulo realiza neste final de semana a sétima edição de sua já tradicional Virada Cultural. Serão 1.300 atrações gratuitas, entre espetáculos de música, dança, teatro, cinema e outras atividades espalhadas pela região central da cidade, unidades do Sesc e da rede CEU. O evento começa oficialmente às 18h do sábado (16) e vai pouco além das 18h do domingo.

Serviços de ônibus e metrô funcionarão por 24h excepcionalmente durante o evento. Além disso, ruas da região central terão tráfego interditado ou alterado. Confira aqui o esquema de trânsito.

Para aproveitar melhor a festa, o G1 preparou o infográfico abaixo que indica a disposição dos palcos da região central da cidade de acordo com o estilo de músicas e programas apresentados. Para consultar a lista completa de atrações e horários veja o site oficial da Virada.

virada cultural SP

Mapa da virada (Foto: Arte G1)

 

 

Banner Virada Cultural (Foto: Arte G1)
Banner Virada Cultural (Foto: Arte G1)


Fãs de forró, música regional, romântica e MPB poderão procurar atrações nos palcos: Barão de Limeira, Arouche e XV de Novembro. No Barão de Limeira, o destaque é o forró e os ritmos regionais, com shows de Dominguinhos (0h) e Genival Larcerda (2h). Já na manhã de domingo, o mesmo palco recebe os violeiros Almir Sater (12h) e Renato Teixeira (14h), além dos forrozeiros do Falamansa (16h) e Forroçacana (18h). Entre os destaques do palco Arouche, estão as apresentações de Elymar Santos (21h), da Bandamel (3h) e a viagem no tempo de Os Incríveis (13h) e Erasmo Carlos (17h). A nova e a velha MPB têm espaço no palco XV de Novembro, com shows das cantoras Tiê (18h) e Thaís Gulin (20h), o encontro de Maria Alcina com Edy Star (14h) - ex-parceiro de Raul Seixas e considerado o primeiro "glam rocker" do Brasil -, além do encerramento com Jorge Mautner (18h do domingo).

Mapa dos palcos por estilo da Virada Cultura de São Paulo 2011 - reggae (Foto: Editoria de arte G1)

Mais internacional dos espaços da Virada Cultural paulistana, o palco São João tem como uma de suas principais atrações o show dos jamaicanos do Skatalites (23h), grupo pioneiro na música ska, que já acompanhou nomes como Bob Marley e Peter Tosh. Mais tarde, o artista catalão Macaco (3h) apresenta a mistura de rumba com reggae que o transformou em um dos artistas de rua mais requisitados da Europa. No domingo, o palco recebe dois outros gigantes: o produtor de dub Mad Professor (15h), que já trabalhou com Horace Andy e Massive Attack, e o grupo de reggae Steel Pulse (17h). Se no São João a cadência dos beats é mais lenta, no palco do Largo São Francisco, os BPM aceleram com alguns dos principais DJs da cena eletrônica brasileira, com destaque para Renato Ratier (20h), DJ Patife (22h) e Renato Cohen (16h). A maratona non-stop de eletrônica se espalha ainda pela Praça da Sé - onde se apresentam em formato "live" nomes internacionais de tecno, house e trance -, além do palco Radiola Princesa Isabel, onde mais uma vez são o reggae e o dub que ditam o ritmo dos pick-ups.

Mapa dos palcos por estilo da Virada Cultura de São Paulo 2011 - rap (Foto: Editoria de arte G1)

Dedicado a outras vertentes da música negra - hip hop, funk, soul e samba - o palco República abre a programação com show dos racionais KL Jay e Edi Rock ao lado do MC paulistano Don Pixote (18h), que mistura suas rimas ao samba e samba rock. Na sequência, o carioca BNegão (19h), ex-Planet Hemp, faz uma parceria com o cantor Taylor McFerrin, filho do produtor Bobby McFerrin, do hit "Don't worry, be happy". O mesmo palco recebe outra dobradinha imperdível: o reencontro do ator e cantor Toni Tornado com o pianista Dom Salvador (0h), num revival da Black Rio dos anos 70. Já no domingo, o espaço amanhece com o samba de bamba de Monarco (8h) e Riachão (10h) e fecha com a apresentação de Paulinho da Viola com Orquestra de Cordas de Curitiba (18h). Bem próximo dali, no palco Santa Ifigênia, alguns dos destaques incluem a apresentação do grupo Samba da Vela (21h) e dos rappers do Z'África Brasil (9h).

Mapa dos palcos por estilo da Virada Cultura de São Paulo 2011 - rock (Foto: Editoria de arte G1)

O palco mais roqueiro da Virada Cultural de São Paulo, o Júlio Prestes, não poderia ter outra atração de abertura que Rita Lee (18h). "Santa Rita de Sampa" puxa uma fila de nomes que vai do rock setentista do americano Edgar Winter (20h), passando pelo horror punk dos Misfits (2h) até a turma do rock brasileiro dos anos 80 representada por Plebe Rude (12h), Frejat (14h), Blitz (16h) e RPM (18h). Com um pé mais no jazz, o palco Liberó Badaró reúne artistas de renome internacional, como o tecladista inglês Brian Auger (23h), que já tocou com Rod Stewart e Led Zeppelin, e o brasileiro Eumir Deodato (1h), requisitado por gente como Björk e k.d. lang. Para os fãs dos Beatles, no entanto, o programa imperdível está no Boulevard São João: durante as 24 horas da Virada, a banda cover Beatles 4ever apresenta nada menos que 16 discos do quarteto de Liverpool tocados na íntegra de cabo a rabo e em ordem cronológica - do iêiêiê de "Please, please me" (18h) ao experimentalismo de "Abbey Road" (13h30). Quem preferir conhecer novas bandas jovens e independentes, a melhor pedida é o palco Cásper Líbero, na região da Luz.

Mapa dos palcos por estilo da Virada Cultura de São Paulo 2011 - clássica (Foto: Editoria de arte G1)

Os palcos do Pateo do Collegio e da Estação da Luz são os espaços dedicados à música clássica, concertos e espetáculos de dança na Virada. Na Estação da Luz, o programa abre com uma performance do Balé da Cidade (19h15), seguida de um concerto da Orquestra de Câmara da USP (21h) e de um curioso encontro entre a Orquestra Experimental de Repertório e os metaleiros da banda Sepultura (0h). Já no domingo, os destaques são as duas apresentações da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo: com um concerto principal às 18h e uma parceria com os bailarinos da São Paulo Companhia de Dança logo em seguida, às 18h45. No Pateo do Collegio, haverá duas apresentações da ópera Pagliacci  (às 20h do sábado e às 19h do domingo), além de diversos espetáculos de grupos de circo.

Mapa dos palcos por estilo da Virada Cultura de São Paulo 2011 - outros (Foto: Editoria de arte G1)

Cercados de música por todos os lados, o Vale do Anhangabaú, o Viaduto do Chá e a Praça Pedro Lessa (Correios), na região central da cidade, vão funcionar como o oásis nerd para os fãs de cultura pop em geral. O endereço para quem procura os brutamontes de máscaras e colantes coloridos da Brazilian Wrestling Federation (BWF) é a Arena Anhangabaú. Disputas de luta-livre rolam a noite inteira, mas um dos pontos altos deve ser a participação de Zé do Caixão com a sua Conjuração Satânica, é claro, à meia-noite, seguida por uma apresentação especial dos mexicanos do Consejo Mundial de Lucha Libre. Também fantasiados - eles preferem a expressão "cosplay" - os fãs de mangás, videogames e HQs terão extensa programação também no Anhangabaú, com shows das bandas Megadriver (3h) e Os Gameboys (7h), acompanhados de batalhas com espadas samurais, vikings e, por que não?, sabres-de-luz jedi. O encontro culmina em uma Parada Cosplay que promete deixar a região às 14h30 e desfilar o "orgulho nerd" pelo centro. Aos que procuram boas gargalhadas, o endereço certo é o Viaduto do Chá, que será palco de um festival de stand-up comedy onde se revezam nomes como Danilo Gentili, Fábio Porchat, Rogério Morgado, Marcos Veras, Comida dos Astros e outros. A maratona do riso começa às 20h do sábado e só para no dia seguinte às 18h.

Fonte

http://www.viradacultural.org/
 

Comentar

Por favor, use de polidez em seu comentário. Não utilize palavras ofensivas ou palavrões e seja bem vindo(a).


Código de segurança
Atualizar