Login



Detectamos o seu IP

Você está conectado(a) a este site de: 54.80.10.30

Dali Clock

Social Media Links

TwitterFacebook

Pessoas Online

Nós temos 437 visitantes e 1 membro online
  • redezrenn

Visitas

HOJE144
ONTEM189
NA SEMANA468
NO MÊS3516
TODAS289145
Powered by Kubik-Rubik.de

Siga-nos

Siga o Dica Quente no Twitter

Twitter

Doacoes


 
NÓIS NEGA O FATO, MAS NUM NEGA FOGO

NÓIS NEGA O FATO, MAIS NUM NEGA FOGO....

Salve, salve “brasilzão” do “tudo é possível”!

Como já se era de esperar, ouvidos os (com perdão da palavra) “policiais” envolvidos na tentativa de homicídio contra o menor de 14 anos em Manaus em Agosto/2010, cuja barbaridade ficou escondida da justiça (?) e do público em geral até março/2011 (só 7 meses...), ainda temos que “reouvir” aquilo que já comentamos por aqui em outro artigo.

pistola

_________________________________________

(a seguir, trecho de uma crônica que escrevi em 2005)

(...)

 

Temos que ver também pelo lado positivo, o do estômago, pois deve estar rolando uma pizza “braba” por lá!

Dizem que “cabeça vazia é oficina do diabo”, mas, e barriga cheia? De pizza?

E todas as autoridades envolvidas? E todos aqueles nomes de personalidades e representantes da justiça e do país que se manifestaram? E a repercussão dessa barbárie pelo mundo?

Oh my god!!!

Agora eu pergunto:

Porque é que quando um criminoso nega um fato ele já recebe logo umas duas “porradas certeiras” ou é submetido à outras formas de tortura (já bem noticiadas) para que confesse e, independente disso é indiciado, fica à disposição da justiça e acaba sendo condenado. Pagar pelo crime é justo, não vou discordar disso, mas e quanto às “porradas” ? Não sei, mas eu não me lembro de ter lido na legislação sobre essa parte... Qual será o artigo?

Mas sendo o criminoso um policial há toda uma “bancada” para ouvi-lo, pessoas importantes para analisar os fatos, peritos “megacapacitados”, a mais insensata “cara de pau” para negar o feito e, certamente um “rodiziozinho” ao final.

Não só a população em geral, mas os meios de comunicação deveriam estar 100% informados sobre o andamento disso, algo do tipo “reality show”...

Vejam uma hipótese:

(vídeo passando: chegada ao MP) – LOCUTOR: O criminoso “X” que recentemente prestou depoimento negando sua participação na tentativa de homicídio contra a vítima “Y”, crime este que foi flagrado por câmeras de segurança e que, além disso, sabe-se que tal criminoso e seus “comparsas” estiveram em diligência para averiguar “outra ocorrência” no mesmo local, negou o fato – apesar das evidências – e, com a “sempre bondosa” ajuda da nossa tão promissora legislação, foi dispensado, devendo permanecer detido (?) até que se findem as análises periciais.

(outra cena: retorno à detenção) – LOCUTOR: Ao retornar à prisão especial o criminoso “X” sorridente é recebido por seus colegas de detenção com estridentes estalar de mãos, abraços e fortes tapas no peito. O que se percebe é que todos estão confiantes “na justiça”. Que como estamos acostumados a ouvir: é cega!

(outra cena: chega um motoboy) – LOCUTOR: A comemoração é interrompida neste momento com a chegada de um entregador de pizzas que procura por “esquadrão eu mato mesmo”. Os homens recebem a encomenda, há uma bebida dentro de uma sacola plástica a qual não pudemos identificar qual era, o pagamento é efetuado e todos se recolhem a uma “sala” (não condunfir com cela) privada para matar a fome e falar sobre “outros” assuntos.

(não parece que foi escrita hoje?)

Será que estou correndo o mesmo risco que o blogueiro carioca?

_________________________________________

MPE ouve último PM envolvido em tortura contra adolescente

Uma testemunha do caso e oficiais da Corregedoria do Sistema de segurança Pública foram ouvidos hoje pelo Procurador de Justiça João Bosco Sá Valente

Manaus, 31 de Março de 2011

acritica.com

A Corregedoria do Ministério Público Estadual (MPE-AM) deverá ouvir a partir das 12h desta quinta-feira (31), o sétimo policial militar ouvido no caso de tortura contra o adolescente de 14 anos, agredido durante uma abordagem em agosto do ano passado, no bairro Amazonino Mendes, Zona Leste de Manaus.

Na manhã de hoje uma testemunha do crime e oficiais da Corregedoria do Sistema de segurança Pública foram ouvidos pelo Procurador de Justiça João Bosco Sá Valente, coordenador do Centro de Apoio Operacional de Inteligência, Investigação e Combate ao Crime Organizado do Ministério Público do Estado do Amazonas (Cao-Crimo).

Ontem outros dois envolvidos no caso foram ouvidos pelo procurador

De acordo com ele, todos os policiais militares envolvidos na tentativa de homicídio contra o adolescente de 14 anos, e que já foram ouvidos pelo MPE, negam participação no caso.

Ainda de acordo com Sá Valente, o vídeo que mostra as cenas de tortura será encaminhado para uma perícia, além de outros objetos que ele preferiu não comentar.

*(atenção para o trecho grifado, muita atenção comunidade)

Fonte

 

Comentar

Por favor, use de polidez em seu comentário. Não utilize palavras ofensivas ou palavrões e seja bem vindo(a).


Código de segurança
Atualizar